Consultas
Reunião MTE - 09.06.14
Consulte seu CA / MTE
CAEPI
Emissão / Renovação CA
Legislação
Links do Setor
Produtos
NR 06
Estatísticas de Acidentes
Consulte nossos Especialistas
CRR - SST
Perguntas mais freqüentes
Circulares
Pesquisas

Atenção
Só compre E.P.I com C.A válido

Denuncie

 


Questões sobre Proteção Respiratória 


1- Quanto tempo dura um filtro químico  ?  
2- Como fazer a limpeza do respirador e do filtro? 
3- Qual a cor do filtro que devo usar? 
4- O que é vapor orgânico e vapor ou gás inorgânico? 
5- Que filtro devo usar para proteção contra poeiras? 
6- A temperatura influi na eficiência do filtro químico?  
7- O que é poeira total, poeira inalável, poeira torácica, e poeira  respirável? 
8- O ar comprimido usado nas ferramentas pneumáticas é apropriado para a respiração humana?  
9- É correto cobrir o respirador com pano, ou algum tipo de malha para não suja-lo?  
10- É permitido o uso de máscara autônoma sem pressão  positiva (ou de pressão negativa) no combate à incêndio, ou  em situações de emergência, como num vazamento de gases tóxicos?  
11- É permitido o uso de respirador com  filtro em  um espaço confinado?  
12- Qual é o respirador que devo usar ?  

Curriculum - Eng. Maurício Torloni 

Faça novas perguntas  



 1- Quanto tempo dura um filtro químico?   

A vida útil de um filtro químico, no ambiente industrial, depende de diversos fatores. Os principais são:  
a) qualidade e quantidade  do carvão ativo ou do reagente  contido no filtro. A vida útil é diretamente proporcional a massa de carvão do filtro;  
b) nível do esforço físico desenvolvido pelo usuário, e da sua capacidade pulmonar. A vida útil é inversamente proporcional a vazão de ar que passa pelo filtro;  
c) natureza química e concentração dos contaminantes. Se a concentração diminui 10 vezes, a vida útil aumenta aproximadamente 5 vezes;  
d) afinidade química entre o contaminante e o recheio do filtro;  
d) umidade relativa do ar ambiente. Para umidade relativa do ar acima de 85% a vida útil do filtro cai à metade 


2- Como fazer a limpeza do respirador e do filtro?  

Um respirador para  proporcionar proteção respiratória ao usuário deve estar em perfeitas condições de funcionamento, isto  é, seus componentes (válvulas, tirantes, peça facial, filtros) devem estar em bom estado e limpos. A limpeza deve ser feita, após desmontagem parcial do respirador, por lavagem com água morna, sabão neutro e com auxílio de uma escova  de cerdas não metálicas. Enxaguar com água limpa e  higienizar, por exemplo,  conforme indicado no Anexo 4 do PPR-FUNDACENTRO. Deixar secar na sombra. Podem ser usadas, também, máquinas  de ultra-som, ou máquinas de lavar louça convenientemente adaptadas. Devido a grande variedade de materiais utilizados, convém seguir as recomendações do fabricante. Não se deve  usar álcool, ou solventes para retirar manchas, pois extraem os plastificantes que contribuem para a maciez da peça facial. 

3- Qual a cor do filtro que devo usar?  

No Brasil, a cor do filtro químico usada como meio de  identificação do  tipo de gases ou vapores contra os quais ele é indicado, não é padronizada. É comum, entre nós, os filtros de origem européia, ou de fabricantes nacionais, com as cores:  
vapores orgânicos -  marrom  
cloro, acido sulfídrico ou cianídrico - cinza  
anidrido sulfuroso - amarelo  
amônia - verde  
Os de origem americana, ou os que seguem esse padrão, obedecem as cores:  
vapores orgânicos -  preto  
gases  ácidos - branco  
vapor orgânico e gás  ácido - amarelo  
amônia - verde 

4- O que é vapor orgânico e vapor ou gás inorgânico? 

Do ponto de vista da proteção respiratória, visado a seleção dos filtros, os contaminantes presentes no ar , podem ser classificados como Particulados, Gases e/ou vapores e a mistura deles. Os gases e/ou vapores são:  vapores orgânicos, gases ácidos, gases alcalinos, e especiais. O vapor orgânico contem nas suas moléculas, no mínimo, átomos de carbono, hidrogênio. Ex. álcool etílico (C2H5OH), éter etílico (C2H5OC2H5), acetato de etila (H3COOC2H5), benzeno (C6H6), tricloroetileno (ClHC=CCl2 ), etc.  
O gás ou vapor  ácido é formado por substâncias, que tem carretar ácido, isto é,  ao se dissolverem na água formam os ácidos, fazendo com que o seu pH fique menor que 7. São exemplos: cloro, acido nítrico, óxidos nitrosos, etc. 
Os gases ou vapores alcalinos são aqueles que tem caráter alcalino, isto é, ao se dissolverem na água fazem com que seu pH fique maior que 7. Ex. amônia, aminas. 
Os gases inorgânicos abrangem os gases ácidos e a amônia, que é alcalino. Alguns fabricantes chamam  os gases ácidos, de gases inorgânicos

 


5- Que filtro devo usar para proteção contra poeiras? 

De acordo com o PPR-FUNDACENTRO, ITEM 4.2.2.2., alínea “j”, se o contaminante for poeira, deve-se usar, em geral,  filtro mecânico classe P1. Porem, se  a substância for altamente tóxica  (LT menor que 0,05 mg/m3), deve-se usar filtro P3. 
Não se pode esquecer que para o caso de asbesto e sílica cristalina existe recomendação especial (ver Instrução Normativa n. 1 de 11/4/94, ou PPR-FUNDACENTRO).  Por exemplo: 
- para asbesto, até 2 fibras/cm3 , usar filtro P2; até 10 fibras/ cm3  , usar P3; etc. 
 -para sílica cristalina, só se pode usar filtro P1 se o diâmetro aerodinâmico, médio mássico for maior que 2µm. Se for menor, deve-se usar P3. 

 


6- A temperatura influi na eficiência do filtro químico? 

A resposta é: influe. Vamos analisar duas situações. 
Se o filtro químico for do tipo vapor orgânico, a retenção desse vapor se dará pelo mecanismo físico denominado adsorção. Neste caso, quanto maior for a temperatura do ar, menor será a  eficiencia do filtro. 
Alguns filtros contra gases ácidos retém estes contaminantes por reação química  entre o contaminante e o reagente que está impregnando  a superfície do carvão. Neste caso, quanto maior for a temperatura mais eficiente será o filtro

 

7- O que é poeira total, poeira inalável, poeira torácica, e poeira  respirável? 

O risco potencial das substâncias químicas na forma de partículas sólidas ou líquidas, depende do tamanho da partícula bem com da sua concentração mássica, uma vez que: 1)  o local de deposição no trato respiratório depende do tamanho das partículas; 2) muitas doenças ocupacionais  estão  associadas à deposição do material  numa regiião particular do trato respiratório. Dai as definições: 
Partículas inaláveis: Partículas que são perigosas quando depositadas em qualquer lugar do trato respiratório (desde a região nasal até os alvéolos) . 
Partículas torácicas: Partículas que são perigosas quando depositadas em qualquer lugar das vias pulmonares ( traquéia, bronquios, bronquíolos), e na região de troca gasosa (alvéolos). 
Partículas respiráveis: Partículas que são perigosas quando depositadas na região de troca gasosa (álvéolos). 
Poeira total:  Massa total de partículas coletadas num amostrador. Os LT expressos em termos de poeira total tendem a ser substituidos por poeira inalável, respirável e torácica 
 



8- O ar comprimido usado nas ferramentas pneumáticas é apropriado para a respiração humana? 

Os respiradores  de linha de ar comprimido podem usar o  ar comprimido de rede, de cilindros (carretas). ou diretamente proveniente de compressores portáteis. Qualquer que seja o caso, o ar deve  ser de qualidade respirável, isto é deve satisfazer os requisitos contidos no PPR-FUNDACENTRO. 2a. edição, ITEM 8.5, que é o ar grau D, da Compressed Gas Association: 

 


9- É correto cobrir o respirador com pano, ou algum tipo de malha para não suja-lo? 

Qualquer corpo estranho (barba, bigode, cabelos longos, pano, etc) que fique entre o rosto e a aba de vedação da peça facial favorece a penetração dos contaminantes diminuindo drasticamente o nível de proteção  proporcionado pelo respirador. Tal cobertura seria aceitável se o pano não chegar nunca à área de vedação no rosto, e não interferir com o perfeito funcionamento das válvulas ou dos filtros 

 
 

10- É permitido o uso de máscara autônoma sem pressão  positiva (ou de pressão negativa) no combate à incêndio, ou  em situações de emergência, como num vazamento de gases tóxicos? 

Não. De acordo com o PPR-FUNDACENTRO, item 4.3, e a observação “b” da Tabela de Fatores de Proteção Atribuídos,  a Máscara Autônoma de demanda, como muitas vezes são chamados os respiradores sem pressão positiva, não deve ser usada nas situações de incêndio.  
Quanto a emergência, como na ocorrência de vazamento de gases tóxicos, a máscara autônoma  sem pressão positiva, somente poderia ser usada se a concentração do ambiente fosse, com certeza de até 10 vezes o LT. Se a concentração for desconhecida, o ambiente deve ser considerado Imediatamente Perigoso à Vida ou à Saúde (IPVS) (ver PPR-FUNDACENTRO. item 4.2.2.2 item “a”),  e os respiradores que devem ser usados neste caso são a máscara autônoma de demanda com  pressão positiva, ou o respirador de linha de ar comprimido (peça facial inteira) de fluxo contínuo, ou de demanda com pressão positiva. 

 

11- É permitido o uso de respirador com  filtro em  um espaço confinado? 

A seleção do respirador deve ser feita seguindo o roteiro apresentado no PPR-FUNDACENTRO item 4.2.2.2, que aborda as seguintes situações: 
1- se não se conhece qual contaminante está, ou poderá estar, presente; 
2- se não existir limite de exposição; 
3- atmosferas deficientes de oxigênio; 
4- concentração do contaminante é desconhecida; 
5- concentração do contaminante é conhecida. 
 

 

12- Qual é o respirador que devo usar ? 

A seleção do respirador, e dos filtros, quando existirem, deve ser feita seguindo o roteiro apresentado no PPR-FUNDACENTRO item 4.2.2.2, que aborda as seguintes situações: 
1- se não se conhece qual contaminante está, ou poderá estar, presente; 
2- se não existir limite de exposição; 
3- atmosferas deficientes de oxigênio; 
4- concentração do contaminante é desconhecida; 
5- concentração do contaminante é conhecida 

 

Eng. Maurício Torloni 
Apresentação Profissional 
  • Professor Livre Docente pela Escola Politécnica da Universidade de São Paulo
  • Presidente da Comissão de Estudos de Equipamentos de Proteção Respiratória - ABNT-CB-32
  • Consultor do Ministério do Trabalho e Professor dos cursos de Prot. Respiratória da Fundacentro.
Para novas perguntas escreva para : 
mtorloni@abraseg.com



  Associação Brasileira dos Distribuidores e Importadores de
Equipamentos e Produtos de Segurança e Proteção ao Trabalho
Desenvolvido por:
Sparnet